Por @221consultoria

Tem live que não acaba mais! E não é pra menos, com a pandemia o varejo se viu impedido do seu principal canal de vendas, o físico. Com lojas fechadas, a saída foi investir no e-commerce,delivery e vendas feitas pelas redes sociais. Agora, numa fase de retomada e que a aberturas das lojas já é permitida em muitos estados, o consumidor ainda se mantém retraído.Os lojistas encontraram uma nova forma de realizar vendas, as “shopstreamings”, transmissões ao vivo, pela internet,que misturam artistas, influenciadores e vendas. Aqui no Brasil essa modalidade de venda já vem sendo usada por redes como Americanas, Riachuelo, Schutz, Farm.


É importante dizer que o formato televendas não é novo e já vem sendo usado desde 1970.E porque está voltando agora? Primeiro por uma necessidade, afinal, ainda não nos sentimos seguros para sairmos às compras, de outro já assumimos hábitos digitais, e, por último, compramos por influência e por desejo. E a live traduz bem esse aspecto, pois, aguça o desejo de compra de forma humanizada, algo que não é possível pelo online. A live shop pode ser o caminho mais curto para o fechamento da venda, afinal o consumidor pode fazer a compra ali, ou pode ir até loja física para ver seu produto favorito. Afinal, o varejo já é ominichannel!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *